Carrinho de compras
Seu carrinho está vazio

Central de
Atendimento

0

AQUI NÃO TEM ROBÔ

Nosso atendimento é humano e personalizado

DESCONTOS

3% de desconto via PIX

ENTREGAMOS EM TODO BRASIL

SP Capital – Consulte em nosso Whatsapp disponibilidade para entrega no mesmo dia via motoboy

5X SEM JUROS NO CARTÃO

Parcela mínima de R$ 150

LOJA OFICIAL

Somos especialistas em Vinhos

29/05/2024

Os 6 tipos de uvas que você precisa conhecer

Existem diversas variedades de uvas utilizadas na produção de vinhos pelo mundo, desde aquelas escuras e intensas até as mais suaves. Provavelmente, você já ouviu falar de nomes como Cabernet Sauvignon, Merlot, Malbec ou Pinot Noir, certo?

Ao abrir uma garrafa de vinho você já se perguntou quais tipos de uvas foram usadas na produção? E será que qualquer fruta pode ser usada para fazer um bom vinho? Bem, talvez a resposta não seja tão simples.

Existem cerca de 40 espécies de videiras catalogadas no mundo, incluindo a Vitis vinifera L., que é responsável pela produção das uvas utilizadas na fabricação de vinhos finos. Além disso, a Vitis labrusca é utilizada na fabricação de sucos e na produção de vinhos de mesa, feitos com uvas americanas, como é o caso dos populares garrafões.

Um estudo realizado pela Universidade de Adelaide, na Austrália, constatou que o cultivo mundial de uvas viníferas dobrou desde o ano de 1990. Já a Organização Internacional da Vinha e do Vinho (OIV) aponta que o cultivo de uvas tintas abrange cerca de 75% da área de vinhas em todo o mundo. 

No entanto, é importante destacar que há uma diferença entre as uvas usadas na produção de vinho e aquelas destinadas ao consumo direto. Embora as uvas de consumo possam ser fermentadas e transformadas em bebida, o resultado final será um vinho de qualidade inferior. Isso ocorre devido às características únicas de cada fruta.

Se você é um apreciador de vinhos, conhecer os diferentes tipos de uva utilizados na produção é essencial para compreender melhor os rótulos e saborear a bebida de forma mais completa. Afinal, a uva utilizada na fabricação do vinho tem um impacto significativo nos aromas e sabores que você experimenta ao degustá-lo.

Para te ajudar nessa jornada, preparamos uma lista dos principais tipos de uvas utilizadas na produção de vinho para te ajudar a escolher o rótulo que mais agrada ao seu paladar. Então, continue lendo e confira!

  1. Cabernet Sauvignon

De origem francesa, a uva é amplamente cultivada em diversas outras regiões do mundo, como Bordeaux, Napa Valley, Coonawarra e Maipo Valley. Os vinhos produzidos com essa uva são encorpados, com taninos firmes, o que lhes confere grande potencial de envelhecimento. Considerada uma das uvas mais populares e democráticas, oferece um sabor equilibrado, não sendo excessivamente leve nem muito intenso. 

A Cabernet Sauvignon também é frequentemente utilizada em blends, agregando complexidade e equilíbrio aos vinhos. Reconhecida internacionalmente, essa uva desfruta de prestígio e é altamente valorizada por apreciadores de vinhos e colecionadores. 

A exploração pessoal na degustação é essencial para descobrir as preferências individuais e apreciar as diversas nuances oferecidas pela Cabernet Sauvignon. Ao apreciar o aroma dessa uva na taça, é possível identificar notas de morangos e framboesas, tornando-a excelente para o treinamento do olfato e reconhecimento de aromas de frutas vermelhas.

A Cabernet Sauvignon oferece uma ampla gama de aromas e sabores. Os vinhos jovens podem apresentar notas de frutas escuras, como amora e cassis, além de toques de especiarias, como pimenta e tabaco. Com o envelhecimento, esses vinhos podem desenvolver aromas mais complexos, como notas de couro, chocolate e cedro.

Harmoniza bem com uma boa variedade de pratos. Seus taninos e acidez equilibrados combinam perfeitamente com carnes vermelhas, como cordeiro e filé mignon. Além disso, queijos maturados, como o cheddar, e pratos ricos em sabor, como assados e guisados, são ótimas opções de harmonização.

→ Confira os melhores rótulos feitos com a Cabernet Sauvignon disponíveis na Vinho de Porta

  1. Merlot

A uva Merlot é amplamente conhecida por produzir vinhos que podem ser consumidos jovens ou envelhecidos. Se você está começando a explorar o universo dos vinhos tintos, a uva Merlot é uma excelente escolha. 

Ela produz vinhos leves e aromáticos, com uma cor vermelha intensa e brilhante. O aroma dos vinhos Merlot é dominado por notas de frutas vermelhas frescas, como framboesas e groselhas. O sabor é geralmente mais frutado e fresco, tornando-a uma ótima opção para ser desfrutada durante o verão.

Quando cultivada em regiões mais quentes, a bebida resultante é frutada e possui menos taninos – como é comum na América do Sul. Em locais mais frios, por outro lado, os vinhos apresentam uma maior quantidade de taninos. No geral, os vinhos Merlot são macios e apresentam notas de frutas como morango, framboesa, ameixa, amora e groselha.

Os vinhos feitos a partir da Merlot são conhecidos por sua versatilidade na harmonização com alimentos. Eles podem ser combinados com carnes vermelhas, pratos à base de molho de tomate, queijos semiduros ou duros, comida mexicana e pratos à base de cogumelos. No entanto, a harmonização de vinhos e alimentos é uma questão de preferência pessoal, então experimente e descubra o que mais agrada ao seu paladar.

→ Confira os melhores rótulos feitos com a Merlot disponíveis na Vinho de Porta

  1. Chardonnay

A uva Chardonnay é uma das variedades mais renomadas na produção de vinhos brancos em todo o mundo e também é amplamente utilizada para a elaboração de espumantes. Originária da França, essa uva é cultivada em diversas regiões, incluindo os Estados Unidos, Brasil, Oceania e América do Sul.

Essa variedade de uva branca é amplamente reconhecida no mundo e demonstra uma notável adaptabilidade a diferentes terroirs – que são basicamente o conjunto de características geográficas e ambientais, como solo, clima e topografia, que influenciam na expressão e qualidade de um vinho. 

A uva Chardonnay é capaz de produzir vinhos aromáticos e pode passar por fermentação ou maturação em barricas de carvalho, dependendo da preferência do produtor. Quando cultivada em regiões mais quentes, a uva Chardonnay resulta em vinhos encorpados, com menor acidez. 

Por outro lado, em climas mais frios, produz vinhos de corpo médio, com uma acidez mais pronunciada. Essa versatilidade permite que a Chardonnay seja apreciada em diferentes estilos.

É conhecida por apresentar aromas de frutas cítricas e especiarias, sendo comum sentir notas frutadas de pêssego, pêra, limão siciliano e maçã-verde. Já a sua cor é um belo amarelo dourado, e quando o assunto é harmonização, vai especialmente bem com pratos como aves, peixes e queijos como o gouda ou muçarela de búfala.

→ Confira os melhores rótulos feitos com a Chardonnay disponíveis na Vinho de Porta

  1. Pinot Noir

A uva Pinot Noir, cultivada desde a antiguidade na França, é conhecida por produzir vinhos elegantes e leves. Suas notas aromáticas remetem a cerejas, cogumelos e frutas vermelhas maduras, com um toque especial de “cheiro de bosque”, trazendo a sensação de folhas úmidas e ervas.

Apesar de ser uma uva tinta, a Pinot Noir também é utilizada na produção de vinhos brancos, rosés e espumantes. Cultivá-la é um desafio. É uma das uvas mais consumidas no mundo e é cultivada em diversos países, como Nova Zelândia, Alemanha e Estados Unidos. 

Os vinhos dessa uva exibem uma cor vermelho fechado e intenso, com reflexos quase cintilantes de roxo. Com sua elegância e caráter peculiar, a Pinot Noir é um presente perfeito para os amantes de vinhos tintos, oferecendo uma experiência gustativa diferenciada e sofisticada.

Os vinhos elaborados com a uva Pinot Noir possuem taninos sutis, o que os torna versáteis para harmonizações. São especialmente apreciados com embutidos e risoto de cogumelos. É uma excelente escolha para iniciar na apreciação de vinhos, pois apresenta um consumo fácil e agradável.

Ao degustar um vinho de Pinot Noir, você encontrará aromas distintos de frutas vermelhas, como morangos e cerejas. Seu caráter menos intenso a torna uma ótima opção para apreciadores de vinhos tintos mais leves. É uma uva que pode surpreender e encantar até mesmo quem prefere carnes brancas e peixes.

→ Confira os melhores rótulos feitos com a Pinot Noir disponíveis na Vinho de Porta

  1. Tannat

A Tannat, apesar de originária do sul da França, ganhou destaque e se tornou emblemática no Uruguai. Essa uva é conhecida por produzir vinhos intensos, encorpados e com maior teor alcoólico. Além disso, a Tannat é rica em polifenóis, oferecendo benefícios à saúde quando consumida com moderação.

Essa uva possui um sabor marcante e persistente, deixando sua presença na boca por mais tempo. O vinho Tannat apresenta uma cor vermelho-escuro e ao mesmo tempo brilhante. Possui um aroma caracterizado por frutas vermelhas escuras e intensas, como as amoras. No entanto, podem variar, incluindo frutas negras, especiarias, notas de chocolate amargo e até mesmo nuances de fumaça, dependendo das técnicas de vinificação empregadas. 

Essa diversidade de aromas torna os vinhos Tannat uma experiência sensorial rica e cativante. É uma excelente opção para desfrutar durante o inverno, acompanhando momentos aconchegantes e ideal para os apreciadores de sabores intensos. 

Ao harmonizar vinhos Tannat, é importante escolher pratos igualmente robustos para equilibrar o paladar. Carnes vermelhas e gordurosas, como picanha, linguiça e carnes de caça, são excelentes opções. Queijos de pasta dura, como parmesão, e queijos azuis também combinam bem com esses vinhos. Para sobremesas, recomenda-se doces com alta concentração de cacau.

→ Confira os melhores rótulos feitos com a Tannat disponíveis na Vinho de Porta

  1. Carménère

A uva Carménère vem da região de Bordeaux, na França e é bastante reconhecida na produção de vinhos tintos. No entanto, ela encontrou seu lar ideal no Chile, onde é extensivamente cultivada. 

Quando colhida no momento correto, a Carménère revela aromas complexos de frutas negras maduras, pimenta preta, herbáceos e terra úmida. Se colhida tardiamente, sua acidez diminui. 

Conhecida como a prima da Merlot, mas apesar das semelhanças e características próximas, existem diferenças notáveis que ajudam na identificação das duas videiras. Uma diferença visual é que as folhas da Carménère têm uma tonalidade avermelhada por baixo quando jovens, enquanto as folhas da Merlot são brancas.

Além disso, a proximidade dos sabores também pode causar confusão entre as duas uvas. Ambas são conhecidas por apresentarem aromas doces e taninos suaves. As videiras da Carménère amadurecem de 2 a 3 semanas mais tarde do que as da Merlot. Isso requer que as safras sejam reduzidas para permitir que a Carménère atinja plena maturação no momento da colheita. Essa diferença de tempo de maturação afeta o perfil de sabor e características dos vinhos produzidos a partir dessas uvas.

Os vinhos produzidos com a Carmenère são encorpados, apresentando taninos suaves. Sua coloração intensa varia de vermelho-rubi a púrpura profundo, dando sentido ao significado de seu nome (“carmim”). Apresentam aromas distintos, com notas vegetais, como pimentão verde e folhas de tabaco, além de frutas pretas maduras, como amora e cereja preta.

São bem harmonizados com pratos que possuem tendência ao amargo ou ao salgado, devido à sua acidez mais acentuada. Carnes de porco e vermelhas sem muita gordura são ótimas opções de combinação. É importante evitar misturar o vinho com elementos ácidos, como molho de tomate. Para opções mais leves, a Carménère pode ser harmonizada com azeitonas, peru assado, queijo muçarela, queijo parmesão e saladas.

→ Confira os melhores rótulos feitos com a Carménnère disponíveis na Vinho de Porta

Para conhecer mais variedades de uvas, clique aqui!

Continue aprendendo mais sobre o universo dos vinhos e eleve a sua experiência aqui no Blog da Vinho de Porta!